Escola
Escola Sec. C/ 2.º e 3.º Ciclos Prof. Ruy Luís Gomes

 

logoAgrupamento150X157 Av. Prof. Ruy Luis Gomes, Lote 1A - Laranjeiro
2810-274 ALMADA
Tel. 212 530 759
Fax. 212 547 007

Mapa de localização

http://www.es23.ruyluisgomes.org

 

escola entrada

 

escola patio

 

O nosso Patrono

 

Ruy Luís Gomes 

Ruy Luís Gomes nasceu no Porto em 5 de Dezembro de 1905. O seu pai, António Luís Gomes, tinha sido político na primeira república. Licenciou-se em Matemática na Universidade de Coimbra e doutorou-se em 1928. Em 1929 tornou-se Professor na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, onde entrou como assistente de Álgebra Superior e de Geometria Projectiva. Em 1930/31 foi encarregado da regência da cadeira de Física-Matemática. Em 1933 tornou-se Professor Catedrático, com 28 anos. Foi director do Gabinete de Astronomia, tendo promovido a instalação de um observatório astronómico escolar no Monte da Virgem.

Em 18 de Fevereiro de 1942 fundou o Centro de Estudos Matemáticos do Porto, anexo à Faculdade de Ciências. O grupo de apoio deste Centro era constituído pelos matemáticos António Aniceto Monteiro (1907-1980), António Almeida e Costa (1903–1978), Ruy Luís Gomes, Luís Neves Real (1910-1985), Gonçalves Miranda, Pereira de Barros e Pereira Gomes.

Foi eleito presidente da Comissão Distrital do Porto do Movimento de Unidade Democrática (MUD), tendo integrado as suas listas, razões pelas quais veio a ser preso. A morte do Prof. Abel Salazar (1889-1946), anteriormente demitido das suas funções universitárias pelo governo, provocou manifestações de descontentamento e de protesto contra o Estado Novo e pela instauração de um regime democrático. Ruy Luís Gomes foi um dos mais activos intervenientes e, por isso, foi novamente preso. Apoiou a candidatura do General Norton de Matos (1867-1955) à presidência da República. Entretanto o MUD tinha sido ilegalizado pelo governo. Foi então decidido por alguns membros deste Movimento fundar um outro, que se veio a denominar Movimento Nacional Democrático (MND), de que Ruy Luís Gomes seria presidente. Após a elaboração de um documento que proclamava os princípios defendidos pelo MND, Ruy L. Gomes foi mais uma vez preso. Voltou a ser preso quando começaram os problemas em Goa, Damão e Diu.

Em 1947, foi demitido das suas posições na Universidade no Porto por motivos políticos. Em 1951, foi proposto como candidato à Presidência da República, a par do Contra-Almirante Quintão Meireles, contra o candidato do regime, o General Craveiro Lopes, mas a sua candidatura foi reprovada pelo Conselho de Estado entretanto criado pelo governo de Salazar. Ruy L. Gomes comentava sobre este episódio: “Pela primeira vez eu reprovei na vida, a primeira reprovação que tive foi como candidato à Presidência da República.” (cit. in Evocação do Prof. Ruy Luís Gomes, 1996).

Em 1957 foi preso mais uma vez, juntamente com outros dirigentes do Movimento Nacional Democrático (MND), e julgado dez meses depois pelo Tribunal Plenário do Porto, tendo sido condenado a 24 meses de prisão. Em 1958 deixou Portugal e foi viver para a Argentina, tendo aceite, a convite de António Aniceto Monteiro, a regência de cursos de Análise Matemática, da licenciatura de Matemática no Instituto de Matemática da Universidade Nacional del Sur, na cidade de Bahia Blanca. Em 1962 foi para o Brasil, para a Universidade Federal de Pernambuco, onde já estavam Zaluar Nunes, Pereira Gomes e José Morgado.

Após o 25 de Abril de 1974 regressou a Portugal, onde chegou a 10 de Junho de 1974. Aceitou o cargo de membro do Conselho de Estado e assumiu as funções de Reitor da Universidade do Porto. Foi reitor nos anos de 1974 e 1975, tendo-se jubilado em 5 de Dezembro de 1975. Contribuiu para o lançamento do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, e continuou a desenvolver trabalho em matemática e a colaborar com a Sociedade Portuguesa de Matemática, tendo falecido no dia 27 de Outubro de 1984.

in Centro Virtual Camões